Anterior

Gol fixa valor de R$ 499 em 90% dos voos da Copa

Anterior

Próxima

Linha de crédito pública é opção para novos táxis

Próxima

Frizz


Home »

Economia

Publicado em 23 de Janeiro de 2014, ás 10h32min

Duplicação da rodovia PR-323 tem edital de licitação aberto

Obra duplicará os 207 quilômetros da rodovia PR-323, entre Paiçandu e Francisco Alves

Frizz Redação Frizz
Na primeira etapa do programa serão duplicados 162,5 quilômetros, saindo de Paiçandu até o entroncamento da PR-486, em Pero

 O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) abriu nesta quarta-feira (22) o edital para contratar a empresa que duplicará os 207 quilômetros da rodovia PR-323, entre Paiçandu e Francisco Alves, no Noroeste do Paraná. As obras, bem como a operação do corredor, serão executadas por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP). O valor máximo da tarifa é de R$ 4,20. O recebimento dos envelopes será até o dia 25 de fevereiro e a abertura acontecerá no dia 26 de fevereiro, às 14h30.

Ao longo da duplicação haverá 19 viadutos, 22 trincheiras, 13 passarelas e nove pontes. Além de marginais e ciclovias nas áreas urbanas, dentro de padrões internacionais. E ficarão totalmente duplicados os 220 quilômetros entre Maringá e Francisco Alves. Todo o trecho é composto por três rodovias estaduais: a PR-323, PRC-487 e PRC-272.

“Com essa parceria, 14 municípios da região serão beneficiados. Todo o trecho se transformará em um moderno corredor rodoviário”, disse o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Em dezembro de 2013, o secretário esteve em Umuarama e Cianorte, junto com diretores e técnicos, para escutar e solucionar as dúvidas da população a respeito do programa.

DUPLICAÇÃO - Na primeira etapa do programa serão duplicados 162,5 quilômetros, saindo de Paiçandu até o entroncamento da PR-486, em Perobal. Na segunda etapa começará a duplicação dos outros 44,3 quilômetros, entre Perobal e Francisco Alves.

O valor total do programa é de R$ 7,7 bilhões, que envolve duplicações, melhorias, operação da via e a manutenção ao longo de 30 anos. Deste total, R$ 3,6 bilhões serão em investimentos em novas obras de manutenção e conservação e em serviços ao usuário.

PRAÇAS – O valor máximo da tarifa é de R$ 4,20 para veículos leves, obedecendo o multiplicador por eixo para veículos pesados, conforme edital. A cobrança só será feita depois da entrega de cada trecho de duplicação, com a construção de viadutos, trincheiras, pontes e passarelas.

Para evitar cobranças injustas, o Estado definiu que as quatro praças ficarão fora de áreas densamente povoadas. O governo vai instalar contadores de tráfego, que permitirão aos paranaenses saber quantos veículos transitam e pagam a tarifa. Assim, quando o movimento superar uma banda de tráfego definida em contrato, todo o recurso a mais será revertido ao programa em forma de mais obras, redução de tarifas ou na redução da participação financeira do Estado.

“Depois das audiências públicas, analisamos os pedidos da população e percebemos que o principal questionamento era em relação à tarifa cobrada. Por isso, baixamos o valor e estipulamos no edital que o valor máximo é de R$ 4,20. Estamos trabalhando para solucionar os gargalos rodoviários da região”, explicou Richa Filho.

No programa, os usuários vão contar com serviços de guincho 24 horas, atendimento de primeiros-socorros, pontos de apoio aos motoristas, entre outros benefícios.

LICITAÇÃO – Outras informações sobre a concorrência pública podem ser consultadas no site www.comprasparana.pr.gov.br, link Licitações do Poder Executivo, consulta editais, órgão DER-PR.